Home   Biografia   Diário do Vereador   Fazendo Leis   Na Mídia   Vídeos   Agenda   Perguntas Frequentes   Fale Conosco

Diário do Vereador


Voltar

22/04/2020
Artigo - O papel da sociedade na construção de cidades inteligentes

O que precisa mudar nas cidades brasileiras? Como transformá-las em cidades mais inteligentes e humanas? Qual é o papel da sociedade nessa transformação?

Cidades inteligentes e humanas utilizam a tecnologia da informação e comunicação (TICs) e a inovação para melhorar a qualidade dos serviços oferecidos e tornar a vida nas cidades menos desigual, mais simples e sustentável. Em São Paulo ou em qualquer outra cidade, a tarefa de construir cidades inteligentes pode e deve ser compartilhada com a sociedade.


O desenvolvimento de empreendimentos, serviços e produtos inovadores orientados pelo objetivo de satisfazer necessidades sociais é conhecido como inovação social. É por meio da inovação social que a sociedade colabora para construção de cidades inteligentes e humanas. Os desafios sociais, econômicos e ambientais e o contexto social marcado pela diversidade e conectividade tornam as grandes cidades palcos para o surgimento de organizações, redes e grupos, negócios e iniciativas. Tais atores, a partir do potencial criativo humano e tecnológico disponível, elaboram novos conhecimentos, processos, produtos e serviços voltados à solução de problemas sociais novos ou persistentes.


Problemas novos e desconhecidos requerem o desenvolvimento de novas formas de pensar e agir frente às situações para as quais não temos respostas. Por ser uma crise sem precedentes no século XXI, a pandemia decorrente da Covid-19 exige esforços coletivos volumosos e novas formas de atuação social. Nesse cenário, soluções tecnológicas e formas de atuação coletiva inovadoras foram rapidamente desenvolvidas pela sociedade para conter o avanço da doença.
Nas regiões periféricas de São Paulo e de outras grandes cidades, organizações e grupos de moradores estão utilizando redes sociais para os mais diversos fins: informar a população sobre o avanço da doença nos territórios vulneráveis as medidas de prevenção e proteção necessárias; divulgar as ações do Poder Público para contenção da crise; anunciar campanhas solidárias, negócios e iniciativas econômicas locais. Em São Paulo, o perfil de instagram Corona na Quebrada chama atenção. Também foram criadas plataformas digitais, como a Rede Nacional de Financiamento de Ações, da Benfeitoria e Emergência Covid-19, que centralizam informações sobre campanhas, fundos de investimento social e vaquinhas para arrecadar dinheiro para diversas finalidades, desde ações de assistência social até compra de equipamentos para hospitais e instituições de pesquisa. Startups e instituições de estudo e pesquisa têm organizado desafios on-line para incentivar atores da sociedade civil, mercado e governos a produzirem, juntos, soluções para diferentes problemas setoriais. Startups da área da saúde, por sua vez, desenvolveram soluções tecnológicas para auxiliar as redes públicas e privadas de saúde a aperfeiçoar o atendimento aos pacientes contaminados com a Covid-19.


Todas essas iniciativas evidenciam a potencialidade da sociedade para, a partir do uso da tecnologia e da inovação, responder às demandas sociais rapidamente,. As últimas semanas têm sido de grande aprendizado e de valorização da colaboração, demonstrando que devemos reconhecer a importância e apoiar a inovação social como uma das estratégias para a construção de cidades inteligentes e humanas. A colaboração entre sociedade e Poder Público para gerir os problemas e construir soluções inteligentes e inovadoras já era uma realidade e se intensificou durante a crise epidêmica. Deve ser, também, uma de nossas apostas para a recuperação social no futuro pós-covid-19.