Diário do vereador

09/11/21

Inclusão digital é inclusão social: de volta à Câmara Municipal de São Paulo

Retorno à Câmara Municipal de São Paulo em um complicado contexto político para o país, com as graves crises sanitária, social e econômica escancarando ainda mais as desigualdades do nosso país.

Sempre que me perguntam qual é o principal problema do Brasil, eu digo que o maior problema é a enorme desigualdade social em que vivemos.

O Brasil é um dos dez países mais desiguais do mundo, e a pandemia só agravou essa condição. Semana passada em Brasília, a Anatel colocou em leilão a tecnologia 5G. Embora essa inovação possa trazer oportunidades de crescimento relevantes, precisamos pensar sobre a regulação da internet de quinta geração e como ela pode ajudar a reduzir desigualdades. Afinal, metade da população brasileira não tem acesso à internet de boa qualidade, nem ao 4G ainda…

Mesmo assim, o tão esperado leilão foi um sucesso. O principal objetivo foi alcançado, que foi o de colocar uma enorme quantidade de faixas de espectro no mercado, diversificando o cenário competitivo com novos players regionais.

Pela primeira vez o Governo, incluindo a área económica, aceitou abrir mão de uma arrecadação substancial em troca de investimentos das empresas que ganharam o leilão. Se der certo, o alto investimento previsto para a iniciativa privada vai reverter em uma infraestrutura concreta de telecomunicações, tão necessária para a chegada da internet de quinta geração.

A participação das empresas deve contribuir para o avanço da digitalização da economia no país. Os investimentos da iniciativa privada para a implantação dos compromissos de cobertura e expansão dos serviços vão impulsionar a economia brasileira, a infraestrutura digital e a inclusão digital. E promover a inclusão digital é uma forma eficiente de combater a desigualdade social.

A inclusão digital hoje tem a ver com acesso a empregos, a informações sobre serviços públicos, acesso à cultura, a possibilidade de se relacionar com os parentes distantes, a possibilidade de assistir aulas e mesmo de se conseguir o auxílio emergencial do Governo.

Nesse contexto, inicio este segundo mandato com a convicção de que inclusão digital é inclusão social. Vamos diminuir desigualdades e desburocratizar os serviços da cidade. Vamos tornar São Paulo uma cidade mais inteligente, simples e inclusiva, e ampliar a transparência e a participação no poder público.
Tecnologia e inovação precisam dialogar com a redução das desigualdades e todas as políticas públicas.